Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

ARMAZéM LITERáRIO >

Barnes & Noble reduz perdas e avalia cisão

Por Jennifer Bissel em 16/09/2014 na edição 816

A Barnes & Noble vai continuar a explorar alternativas de desmembramento para sua divisão de leitores eletrônicos Nook, apesar de os prejuízos associados a ela terem diminuído no trimestre mais recente. O prejuízo líquido total da varejista caiu 67%, para US$ 28,4 milhões, ou US$ 0,56 por ação, no trimestre encerrado em 2 de agosto, puxado principalmente por cortes de custos promovidos na divisão Nook.

Diante da acirrada concorrência do Kindle da Amazon e do iPad da Apple, o leitor eletrônico da empresa enfrentou dificuldades para se manter, em meio a um clima já difícil para as livrarias. Em junho a empresa anunciou planos de desmembrar sua divisão Nook. No entanto, não informou quando essa operação ocorrerá nem confirmou se realmente a levará a cabo.

A cisão está no prelo desde pelo menos 2012, quando a Microsoft comprou uma fatia de 17,6% na Nook, por US$ 300 milhões, e as cláusulas do negócio previam que a divisão seria desmembrada como empresa independente dentro de cinco anos. A Pearson, dona do jornal “Financial Times”, tem uma fatia de 5% na Nook.

Vendas digitais

A onerosa produção de equipamentos levou a empresa a se associar com a Samsung no início deste ano para montar um novo tablet empregando o software da Nook. Com a parceria, os prejuízos da Nook diminuíram em US$ 50 milhões durante o trimestre, comparativamente ao mesmo período do ano passado, em termos de lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (conhecidos pela rubrica Ebitda), principalmente devido aos US$ 27 milhões em redução de despesas. A receita da Nook recuou 54% no trimestre.

No entanto, a empresa prevê que as vendas vão melhorar com a estreia de seu novo modelo da Samsung. Ele foi lançado em 20 de agosto, ao preço de US$ 179, e inclui créditos grátis para a aquisição de conteúdo na plataforma on-line da livraria.

Qualquer parceria estratégica a ser examinada pela empresa para um desmembramento precisaria garantir a promoção da plataforma on-line da Barnes & Noble a fim de impulsionar as vendas digitais e a relação dos clientes com a marca, disse Michael Huseby, o principal executivo da Barnes & Noble.

Fora da divisão Nook, as vendas em lojas abertas há pelo menos um ano recuaram 0,4% no trimestre, no comparativo ano a ano, em relação à retração anual de 0,5% registrada no trimestre anterior. A receita total recuou 7%, para US$ 1,2 bilhão, pressionada, principalmente, pela evolução negativa das vendas da Nook e de conteúdo on-line. A receita do segmento de ensino universitário da empresa, que inclui lojas em campi, continuou inalterada, enquanto a receita de sua divisão geral de varejo caiu 5,3% devido a fechamentos de lojas e ao recuo das vendas on-line.

******

Jennifer Bissel, do Financial Times, em Nova York

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem