Terça-feira, 07 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

CADERNO DA CIDADANIA >

Afegãos condenados por crimes de 2001

03/11/2005 na edição 353

Dois irmãos afegãos, Zar Jan e Abdul Wahid, foram condenados à morte pelo assassinato de quatro jornalistas no Afeganistão, em 2001. Um terceiro homem, Raza Khan, já havia sido condenado pelo mesmo crime. A sentença foi decidida por um tribunal em Cabul, mas os irmãos podem apelar. Para serem postas em prática, as sentenças ainda devem ser aprovadas por tribunais mais altos e pelo presidente, Hamid Karzai.


Os quatro jornalistas – um afegão, um australiano, uma italiana e um espanhol – entraram no país em novembro de 2001 para cobrir a queda do regime Talibã em uma operação liderada pelos EUA.


Eles cruzaram a fronteira do Paquistão com o Afeganistão e viajavam por uma estrada que levava a Cabul quando foram parados por homens armados que alegavam ser do Talibã. Os quatro foram mortos e seus corpos foram deixados na estrada. A única mulher no grupo de jornalistas, a repórter italiana Maria Grazia Cutuli, do Corriere della Sera, foi estuprada antes de ser morta, e teve suas orelhas e nariz cortados. Os outros jornalistas assassinados foram o cinegrafista australiano Harry Burton e o fotógrafo afegão Azizullah Haidari, ambos da Reuters, e o repórter espanhol Julio Fuentes, do El Mundo.


Seis outros membros da gangue que cometeu os crimes foram condenados a até 20 anos de prisão, por outras acusações, como roubo, mas não pelas mortes. Informações da AFP [31/10/05].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem