Sexta-feira, 05 de Junho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

DIRETóRIO ACADêMICO >

Uma pista para a imprensa de papel

Por Elio Gaspari em 27/03/2012 na edição 687

Um estudo do instituto americano Pew informa: “Um número crescente de executivos prevê que dentro de cinco anos muitos jornais circularão em papel somente aos domingos.” Nos outros dias servirão aos leitores em edições eletrônicas. É impossível prever o futuro dos meios impressos, mas talvez esteja aí uma boa pista. Em 2007, Arthur Sulzberger, dono do New York Times, disse o seguinte: “Eu não sei se daqui a cinco anos estaremos imprimindo o Times. Quer saber? Não me importo com isso.”

Passaram-se os cinco anos, ele investiu na versão do jornal na internet e hoje, a empresa, que controla também o Boston Globe e o Herald Tribune, tem 406 mil assinantes eletrônicos. Surpreendentemente, no ano passado, a carteira de assinantes do Times dominical impresso subiu 0,2%, depois de cinco anos de queda. Está em 992 mil exemplares. Atribui-se esse movimento ao fato de a assinatura de papel da edição de domingo dar pleno direito à eletrônica, sem custo adicional. Mais uma vez, o Times sinaliza o futuro. Seu conteúdo não está blindado. O público tem direito a dez artigos mensais e, diariamente, suas principais notícias estão acessíveis na rede. Além disso, está aberto o acesso a textos cujos links foram colocados em redes sociais.

A má notícia vem da Pew: para cada US$ 10 que o mercado americano de publicidade no papel perdeu, só ganhou US$ 1 no mundo eletrônico. Como as edições dominicais são as mais gordas e versáteis para a publicidade, o gradual desaparecimento das edições impressas nos dias de semana não seria o fim do mundo.

***

[Elio Gaspari é jornalista e colunista da Folha]

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem