Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

ENTRE ASPAS >

Visita a sites de jornais cresce nos EUA

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 26/05/2010 na edição 591


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 26 de maio de 2010


 


INTERNET


Visita a sites de jornal é recorde nos EUA


‘As visitas aos sites de jornais nos EUA continuaram a crescer em abril e bateram recorde. De acordo com a Rede Nacional de Jornais, os pageviews de sites de jornais somaram 2 bilhões em abril, 11% mais que no mês anterior. A pesquisa aponta ainda que as visitas únicas cresceram 10% em relação a março, totalizando 83,7 milhões.’


 


 


Marina Lang e Rafael Capanema


Google ataca TV a cabo e mira publicidade


‘Anunciado na quinta-feira passada, o Google TV foi visto como um golpe nos provedores de televisão a cabo e uma oportunidade bilionária de lucro com publicidade para a gigante das buscas.


A novidade, apresentada na conferência de desenvolvedores Google I/O, não tem previsão de chegada ao Brasil, afirmou à Folha Félix Ximenes, diretor de comunicação e assuntos públicos da empresa no Brasil.


Com o lançamento, o Google mira um público espectador composto por 4 bilhões de pessoas, o que faz desse mercado o maior do mundo, com publicidade equivalente a US$ 70 bilhões anuais.


‘Nossa publicidade é direcionada e, por isso, podemos fazer ainda mais anúncios de televisão relevantes, que devem render muito dinheiro’, afirmou Eric Schmidt, executivo-chefe do Google, à Fox Business Network.


Grosso modo, o sistema leva comandos da internet à programação televisiva -por exemplo, se o usuário faz uma busca pelo seriado ‘House’, vai encontrar resultados tanto da televisão (canais Fox e USA) quanto da internet (Fox, Hulu e Amazon). Usuários também poderão gravar o conteúdo.


Para Devin Coldewey, do TechCrunch, o lançamento do Google obriga os provedores tradicionais de TV a cabo a inovarem. ‘Eles têm arrastado os pés por uma década, adicionando funcionalidade de internet pedaço por pedaço, mas, agora que o Google entrou no ringue, precisam jogar a sério’.


O sistema roda Android 2.1, plataforma móvel do Google, e tem navegador Chrome e Flash 10.1, complemento multimídia da Adobe. O Google anunciou que vai liberar ferramentas para desenvolvedores ‘criarem suas próprias experiências’.


Foram confirmadas as parcerias com Sony (responsável pelo aparelho televisivo), Intel (processador Atom) e Logitech (o chamado box do sistema de TV-internet).


ORIGEM DO CONTEÚDO


‘Para os usuários, não importa de onde o conteúdo venha. Eles querem apenas que seja rápido e conveniente’, disse o gerente de produto do Google, Rishi Chandra.


A tela inicial apresentada pelo Google dispõe todo o conteúdo favorito do usuário, assim como aplicativos -incluindo parcerias com a Amazon e com o Netflix.


Houve demonstração de personalização de conteúdos, a partir do exemplo de que o filho de Chandra gosta da série infantil ‘Sesame Street’ (‘Vila Sésamo’, na versão americana). Com o Google TV, ele pode centrar o que vai assistir nos personagens favoritos, por intermédio do site oficial do seriado.


Em outro exemplo, um jogo de basquete figura em uma tela secundária, enquanto o usuário navega pela tabela de resultados do Yahoo! no browser, em primeiro plano.’


 


 


Rafael Garcia


Vídeos do YouTube viram estudo sobre alucinógeno


‘A mania que muitos usuários da droga alucinógena Salvia divinorum têm de publicar vídeos dos efeitos da erva no site YouTube rendeu um improvável dividendo: um estudo científico.


Com base em filmagens de jovens que se divertem vendo seus colegas ‘viajarem’ após uma ou duas tragadas da fumaça da erva, cientistas nos EUA conseguiram pela primeira vez saber com alguma precisão qual o período de efeito da droga. Imagens de gente rindo descontroladamente, rolando pelo chão e estranhando o próprio corpo forneceram os dados.


Segundo o trabalho publicado na revista ‘Drug and Alcohol Addiction’, a Salvia divinorum (não confundir com o tempero sálvia) faz efeito em até 30 segundos e mantém os usuários num estado de consciência bastante alterado por até oito minutos.


A descoberta pode não parecer grande novidade para os usuários da droga, mas deu trabalho para os cientistas, já que o uso da sálvia é globalizado, mas ainda não muito disseminado.


Fazer um estudo clínico em que a droga seja administrada deliberadamente, além disso, pode pode enfrentar uma série de barreiras éticas.


‘Ainda não há estudos na literatura médica que tenham feito isso de maneira tão precisa quanto o nosso’ disse à Folha o sanitarista James Lange, da Universidade Estadual de San Diego coordenador do trabalho.


‘A maioria dos estudos publicados se baseou em relatos dos usuários e não em observações detalhadas.’


MATERIAL E MÉTODOS


Para conseguir filmagens que não tivessem sido adulteradas e mostrassem a ‘viagem’ da sálvia do início ao fim, o cientista se juntou a três colegas para assistir a mais de 3.000 vídeos no YouTube. Só 34 passaram no controle de qualidade.


‘Só poderíamos fazer isso com uma droga como a sálvia, por causa da restrição do YouTube a vídeos de 10 minutos’, disse o pesquisador.


Lange reconhece que seu método não cobre alguns aspectos do uso da erva.


‘Sabemos que o YouTube só mostra as pessoas que se sentiram à vontade. Vídeos com experiências aterrorizantes ou perturbadoras provavelmente não seriam divulgados, diz Lange.


Segundo o cientista, há pesquisadores correndo para preparar testes controlados da droga, estratégia que no futuro pode se tornar inviável, com muitos governos proibindo a droga. Restará, quem sabe, o YouTube.’


 


 


56% das escolas brasileiras têm conexão à internet


‘O Brasil tem pouco mais da metade das escolas conectadas à internet, segundo dados divulgados ontem pela União Internacional de Telecomunicações (ITU, na sigla em inglês).


O país mantém 56% das escolas com acesso à rede. No Chile a cobertura chega a 75%, das quais 67% mantêm conexão banda larga.


De acordo com os dados, apenas o Uruguai mantém 100% de cobertura de internet banda larga nas escolas na América Latina.


Além do Uruguai, Jordânia (80%), Ilhas Maurício (85%) e Lituânia (69%) superam o Brasil nesse quesito.


A maioria dos países desenvolvidos ou têm 100% de cobertura ou seus índices chegam próximos a isso.’


 


 


TELEVISÃO


Andréa Michael


‘Rosa’busca audiência com ação e violência


‘Tentativa de sequestro, tiros e atentados mudarão o ritmo de ‘Uma Rosa com Amor’ no final de junho. Algo bem diferente do prometido pelo autor do remake agora exibido pelo SBT, Tiago Santiago, que anunciou uma história sem violência no lançamento da trama, no início de março. ‘Vou coalhar a novela de sequências de ação. Quero muito chegar aos dois dígitos’, diz Santiago.


Apesar da meta, a média de público diária é de cinco pontos no Ibope (300 mil domicílios ligados na atração na Grande SP).


No melhor dia chegou a nove pontos. Ele explica que ‘Rosa’ foi proposta como novela das 19h. Ao ser exibida às 20h15, passou a disputar público com o ‘Jornal Nacional’ (Globo), líder de audiência.


‘Para esse embate, preciso de pirotecnia, de mais ação. Vamos começar com uma série de atentados contra a vida de Serafina’, afirma o autor, que reescreve a obra original de Vicente Sasso.


Mas haverá um diferencial. ‘Tem ação, emoção. Mas, na sequência, o alívio, a sensação de leveza de que o mal não consegue se concretizar contra o bem.’ Como?


O bandido Zé Pistola, interpretado pelo ator Zé Du, perseguirá Serafina (Carla Marins) em meio ao trânsito. Ele atira, mas não acerta. Na correria entre os carros, ela é atropelada, mas cai sobre um papelão, que a protege de uma possível pancada mais grave. Licença poética.


Gabi 1. Marília Gabriela foi convidada, mas recusou o papel de uma médica em uma novela de Aguinaldo Silva. Agradeceu, mas está envolvida coma estreia no SBT em 6/6, com o programa no GNT, com uma peça de teatro e com um show em setembro em SP.


Gabi 2. No SBT, Hebe será uma de suas primeiras entrevistadas. Sobre a escolha, diz: ‘Estou pedindo licença. Com licença, minha amiga, estou invadindo o seu pedaço’.


Tributo. Em julho, quando acontece o Dia Mundial do Rock (13/ 7), a Globo News exibirá um ‘Arquivo N’ sobre Jimmi Hendrix (1º/7) e outro sobre Janis Joplin(8/7). Eleição Dilma Rousseff é a entrevistada de hoje de Paulo Barboza, na Rádio Record AM, a partir das 11h.


Doizinho. Ao ‘CQC’, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que já fumou maconha. ‘Na minha idade, quem disser que não, ou estava no convento ou não está falando a verdade.’ O programa teve quatro pontos no Ibope (240 mil domicílios ligados na atração na Grande SP) anteontem na Band.


Comunidade. Em junho, a MTV disponibilizará em seu portal a ferramenta Twinister, por meio da qual será possível buscar os twiteiros com que tem afinidades. Permitirá formar comunidades por temas.


Chokito. Ao ‘Radar Television’ (CNT) de domingo, Ivan Zurita, da Nestlé, conta que uma das razões para patrocinar a seleção de futebol é o fato de o Brasil ser o segundo maior faturamento da companhia no mundo.’


 


 


Lúcia Valentim Rodrigues


Último episódio de ‘24 Horas’ termina com herói coerente


‘Jack Bauer está cansado.


No oitavo dia de trabalho, o agente especial largou sua aposentadoria, disse adeus novamente à família e mergulhou de cabeça nos problemas diplomáticos dos Estados Unidos, às voltas com um difícil tratado de paz.


O que os políticos fazem para conseguir o desarmamento mundial é desconcertante. Jack (Kiefer Sutherland) sabe disso. Mas sua moral não permite que ele aceite as negociatas. Traição é palavrão para Jack.


O último episódio da série, que já anunciou que não terá mais temporadas, emendou duas horas de duração. O personagem manteve sua coerência até o final. Teve dúvidas, superou ferimentos e torturas e aplicou o mesmo tratamento aos inimigos.


O problema é que a 22ª hora na vida de Jack foi mais eletrizante que suas duas últimas. Ele se vestiu de vingador e até bateu em um presidente da República. Redentor para os eleitores. Já o final teve mais ares de despedida. Jack toma facada, tiro, soco e ainda sofre um atentado.


Até ele anuncia sua partida, na cena final, em que seu rosto é desconectado do monitoramento da UCT (Unidade de Contraterrorismo). Jack volta ao submundo. Vai dar certo? Só o filme dirá.


NA TV


24 Horas


QUANDO ter., às 23h, na Fox


CLASSIFICAÇÃO 16 anos’


 


 


Mônica Bergamo


Silvio de Abreu – ‘Ator que se assumir gay é bobo’


‘Autor da novela ‘Passione’, Silvio de Abreu diz que não escreveria cena de beijo gay na novela pois não seria exibida pela Globo.


Folha – Há quem só faça novela para ser capa de revista? Silvio de Abreu – Muuuita gente. Tem muitos atores que só estão interessados em fazer baile de debutante e sair em capa de revista. Não são os que trabalham comigo.


Vida pessoal atrapalha?


Se o cara sai de balada, toma droga e está lá com o texto na ponta da língua, eu não tenho nada com isso. Se é gay, se não é gay, se é machona, se não é machona. Pra mim tanto faz. Se na hora em que estiver assistindo eu acreditar que ele é machão, acabou. O problema é pa-re-cer. Aí, é outra coisa. Aí, atrapalha o personagem.


Um ator que se assumisse homossexual teria dificuldade?


Se o ator, digamos assim, vive de fazer tipo, não tem problema. Ele vai poder fazer o tio, o pai, o aleijado, o bobo. Mas se ele vai ser o sonho de amor das telespectadoras, ou a moça que vai ser o sonho de amor do telespectador e ela diz: ‘Eu sou lésbica’, ninguém vai gostar. Ninguém mais vai sonhar com ela.


Mesmo um bom ator?


Se ficarem falando por trás, não tem importância. Se ele falar abertamente, vai prejudicar. Daí você vai me dizer: ‘O público gay vai gostar’. Mas o público gay é 10%. A mulher é 40%, ou sei lá quanto, mais ou menos isso. Ator que fizer isso é bobo.


A Globo vetou um beijo gay em ‘América’.


Homossexualismo não é mais tabu. Beijo gay é outra história. É uma exposição que grande parte do público que não é gay pode se chocar.


Você colocaria um beijo gay em sua novela?


Não adianta eu colocar, não vai passar.’


 


 


TECNOLOGIA


Fernanda Ezabella


‘Supertablet’ mobiliza emissoras de TV


‘Enquanto consumidores correm em busca do futurístico iPad, outra corrida invisível ganhou força nos bastidores da indústria de TV.


Afinal, o aparelho quer fazer pelo vídeo o que o iPod fez pela música. E redes de TV não querem perder a onda como as gravadoras.


O iPad, assim como outros supertablets (computadores portáteis) da HP e da Dell -feitos de uma tela sensível ao toque de cerca de 10 polegadas-, é apenas uma ponta numa extensa corrente de inovações que mudaram a forma como vemos TV -no laptop, no celular, no iPod.


Mas a empolgação com o iPad, que vendeu 1 milhão de unidades em 28 dias e foi chamado pelo magnata da mídia Rupert Murdoch de ‘revolucionário’, poderia transformá-lo no catalisador de um aguardado novo modelo de negócios para emissoras.


‘Talvez esses novos devices [celulares inteligentes, tablets] vão forçar um ritmo de evolução maior da indústria de TV, ao contrário da fonográfica, que demorou para reagir’, afirma Claudia Woods, diretora de serviços da consultoria Predicta.


Nos EUA, 10 milhões de pessoas assistem a vídeos pelo celular por mês -apenas 5% do total de pessoas com celular no país, de acordo com a Nielsen. Outra consultoria, a Adams Media Research, estima que o gasto com a compra de filmes e programas de TV na internet irá dobrar entre 2008 e 2010, para US$ 1,14 bilhão.


Desde 2009, a Apple negocia com redes de TV acordos para vender na sua loja virtual iTunes assinaturas da programação, a qual o usuário assistiria sem comerciais.


A ABC, responsável por ‘Lost’ e ‘Grey’s Anatomy’, liberou parte de seus seriados para o iPad, embora com comerciais. O canal a cabo HBO não pretende criar um aplicativo para o aparelho, uma vez que já disponibiliza para seus assinantes conteúdo na web ou celular.


Para o Lee Rainie, diretor do Pew Internet, os experimentos das redes de TV vão continuar, em direções diferentes. ‘Mas não é fácil prever qual irá funcionar’, diz.


A questão em debate são os anúncios. Ao contrário de gravadoras e do cinema, a TV depende dos anunciantes. ‘O iPad pode não ter efeito nenhum porque as pessoas não vão pagar extra para ver TV num tablet, diz Rainie.’


 


 


PS3 vai poder baixar séries da HBO


‘A Sony fez um acordo com a HBO que vai permitir que os usuários do PlayStation 3 (PS3) possam baixar episódios de séries da emissora como ‘Curb Your Enthusiasm’ e ‘Entourage’ logo que eles começarem a ser vendidos em DVD -o que, em média, significa 11 meses depois delas estrearem na TV. O preço por episódio deve ser de US$ 2,99.’


 


 


Amanda Demetrio


Tecnologia 3D entra no ar na TV aberta


‘Com um mercado 3D ainda embrionário no Brasil, a RedeTV! começou, no domingo, suas transmissões de conteúdo em 3D. A emissora exibiu o programa ‘Pânico na TV’ em três dimensões para um grupo de convidados no Club A, uma casa de festas de São Paulo.


A partir de agora, outros programas da grade da TV devem estar disponíveis às TVs compatíveis com 3D, incluindo provas de automobilismo e partidas de futebol.


Rede Globo e Bandeirantes já fizeram testes com o 3D em transmissões fechadas, sem estimar data para começar a passar o sinal aberto. Na RedeTV!, foram dois anos de pesquisa e investimento em equipamentos para o que eles chamam de ‘a primeira transmissão 3D do mundo em TV aberta’. A captação está sendo feita com duas câmeras em um só eixo, e não com câmeras de duas lentes.


‘Muda o posicionamento das câmeras, porque você tem que estudar o equadramento’, explica Kalled Adib, superintendente nacional de operações da RedeTV!. Segundo ele, é possível destacar elementos da tela ou dar a sensação de profundidade na cena com o 3D.


Apesar disso, ele assume que não se deve abusar das projeções em relevo, porque elas podem causar fadiga.


Sobre o fato de as primeiras TVs 3D ainda serem poucas no Brasil, Adib disse que o mercado vai se incumbir de consumir conteúdo e televisões compatíveis com a tecnologia e baratear o preço.


Procurada, a Globo disse que vem realizando testes em 3D e que ‘não comenta iniciativa de concorrentes’.


O mercado de TVs 3D no Brasil ainda é pequeno. A Fnac, uma das primeiras a anunciar a pré-venda dos aparelhos no país, deve entregar sua primeira leva de TVs 3D até 15 de junho.


Os aparelhos da Samsung estão saindo de R$ 5.699 a R$ 15.999 e são vendidos com um kit, cujo preço é somado ao do produto.


SE LIGA


PARA VER


É preciso ter uma TV compatível com a tecnologia 3D e os óculos para visualização do efeito. Não é preciso pagar para ver o sinal em 3D do tipo UHF distribuído pela RedeTV!, segundo a emissora’


 


 


CAMPANHA


Fábio Zambeli


Lula usa coluna para promover Dilma


‘Em sua coluna semanal distribuída a 153 jornais, o presidente Lula associou ontem a continuidade das obras do Programa de Aceleração do Crescimento à vitória eleitoral de Dilma Rousseff, presidenciável do PT, que concebeu o PAC.


Questionado por uma leitora sobre o prosseguimento do PAC, Lula escreveu: ‘O que eu posso garantir é que quem participou da concepção e da execução das obras do PAC obviamente dará continuidade ao programa’.


Para especialistas em direito eleitoral, isso pode configurar propaganda antecipada em favor da petista e traz risco ao registro da sua candidatura por suposto abuso de poder político.


‘É propaganda antecipada e uma indevida vinculação entre continuidade de programa de governo e vitória de determinado candidato’, diz a advogada Maria Cláudia Bucchianeri Pinheiro, presidente do Instituto de Direito Eleitoral do Distrito Federal. A tese é ratificada por dois procuradores.


A publicidade eleitoral antes de 6 de julho pode implicar multa de R$ 5.000 a R$ 25 mil. Já o abuso de poder resulta, em última instância, na cassação do registro.


Para o governo, Lula só respondeu a uma pergunta de uma leitora, ‘como faz periodicamente há 47 semanas’. ‘Não tem nada de anormal nisso e nenhuma interpretação diferente’, disse Flávia Filipini, do Planalto.’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Inimigos externos


‘O programa ‘Diálogo’, da chinesa CCTV, entrevistou a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton -e, em meio a perguntas sobre o casamento da filha, questionou como o governo Obama ‘permite que a política interna influencie na política externa’.


Ontem, o ex-embaixador na ONU, o republicano John Bolton, criticou no ‘Wall Street Journal’ a perda de controle, por Hillary, sobre temas como Irã e Coreia. Em ano eleitoral, atacou como ‘os riscos crescem enquanto o presidente se regozija com um mundo em que o poder americano unilateral é diminuído’.


Ontem também, destaque on-line do ‘China Daily’ ao ‘New York Times’, Hillary voltou a atacar Irã e Coreia do Norte. E não parou por aí.


O Drudge Report abriu o enunciado ‘Wars’, chamando para ações ou ameaças de guerra nos dois citados, no Afeganistão, na Síria e no Líbano e até com a própria China.


Crise pré-eleição


Ainda sobre a visita, destaque no Drudge Report, ‘EUA minimizam crise europeia, mas China está preocupada’. No canal financeiro CNBC, um ‘grande investidor’ avisou que o país ‘deve se preparar para muita volatilidade de junho a agosto’, com os problemas da Europa ‘alcançando Estados como a Califórnia e Nova York’.


‘Mídia censura’


Primeiro no blog da esquerda democrata Daily kos, depois no Huffington Post, ‘Mídia dos EUA censura apoio dos EUA a acordo sobre combustível do Irã’. O post de Robert Naiman diz que quem ‘se informa pelos grandes meios de comunicação’ do país, citando o ‘NYT’, não soube que Turquia e Brasil tiveram apoio para o acordo.


PÓS-LULA


O ‘Washington Times’ abriu página ontem para o longo perfil ‘Luz de Silva reflete no Brasil’. Christopher Garman, da consultoria Eurasia, diz que ‘ainda não se sabe se o país manterá papel significativo depois de Lula’ -com Dilma, que ‘nunca disputou uma eleição’, ou com Serra, ‘tecnocrata insípido’.


NO PALCO DO MUNDO


Jaime Daremblum, ex-embaixador da Costa Rica nos EUA, hoje no Hudson Institute, ataca Lula na conservadora ‘Weekly Standard’. Sob o título ‘A insensatez de Lula’, diz que Rússia e China usam o acordo para enfraquecer as sanções ao Irã. E cobra que ele use a ‘influência florescente’ do Brasil para promover o ‘desenvolvimento liderado pelo mercado’.


Já a alemã ‘Der Spiegel’, em longa reportagem, saúda como ‘Lula, do Brasil, salta para a Primeira Liga da diplomacia mundial’, com o acordo. Registra que o também alemão ‘Frankfurter Allgemeine’ avaliou o acordo como ‘fiasco’, mas ressalta que ‘todas essas objeções não preocupam Lula: ele mostrou que não pode mais ser ignorado no palco do mundo’.


‘LEVANTANDO VOO’


‘Se o céu é o limite, o Brasil está trabalhando duro para chegar lá’, começou a reportagem da BBC sobre o setor aéreo. Entrevistou o fundador da Azul, o americano David Neeleman, que saudou a ‘classe C’ e arriscou que o Brasil será ‘um dos cinco maiores’, mas também um especialista que apontou os ‘problemas com infraestrutura’


‘Para este ano os 7% serão certamente uma realidade.’


Dominique Strauss-Kahn


diretor-gerente do FMI, via Reuters, no topo das buscas de Brasil pelo Yahoo News, sobre o crescimento do país no ano eleitoral


ABUSOS


O blog de Reinaldo Azevedo, da ‘Veja’, comentou a entrevista da procuradora eleitoral na Folha, sobre como os ‘abusos ameaçam eleição de Dilma’, afirmando que ela foi ‘corajosa, mas ninguém deve se fiar muito na dureza do TSE’. Em suma, ‘duvido!’.


Já o blog de Paulo Henrique Amorim, da Record, postou primeiro que ‘a tentativa de golpe já começa a rondar a oposição, o TSE e a mídia’. Depois, descreveu a procuradora como ‘colega de Nelson Jobim’ e, por fim, como uma defensora da Globo e de Serra.’


 


 


REFORMA


Folha passa a ter editor de mídias sociais


‘A Folha pretende ter nas mídias sociais a mesma posição de liderança que ocupa no meio impresso e na internet. Para isso, o jornal está ampliando sua presença nas principais redes, como Twitter e Facebook, onde os internautas podem acompanhar as notícias do jornal e mandar seus comentários.


Desde março o jornalista Marcos Strecker assumiu a função de editor de mídias sociais, posição criada especialmente para desenvolver uma estratégia nova na área e para coordenar os esforços de todas as editorias, jornalistas e colunistas.


O jornal estuda as iniciativas pioneiras em implantação na imprensa internacional, em especial nos EUA e no Reino Unido.


A BBC britânica também criou neste ano o cargo de editor de mídias sociais, ocupado por Alex Gubbay. Diversos jornais e TVs estão seguindo o mesmo caminho, atentos ao crescimento dos sites de relacionamento.


As pesquisas indicam que os usuários vêm utilizando cada vez mais os sites de relacionamento também como fonte de notícias. Nos EUA, em março, o Facebook superou o Google pela primeira vez em número de visitas.


Segundo o Ibope Nielsen Online, cerca de 86% dos internautas ativos no Brasil utilizaram essas mídias em fevereiro. A Folha deseja levar às redes sociais notícias de qualidade, respeitando a linguagem própria desse meio.


No microblog Twitter, o internauta já pode acompanhar alertas e as principais notícias do jornal, 24 horas por dia. Em www.folha.com/twittersdafolha, estão relacionados 18 canais das diferentes editorias.


COMUNICAÇÃO


Na página das editorias no Twitter, será possível saber em breve quais jornalistas estão administrando as mensagens, tornando a comunicação mais pessoal. Através do Twitter também será possível, em breve, comunicar-se com a ombudsman da Folha, Suzana Singer.


No Facebook, em www.facebook.com/folhadesp, os internautas já podem acampanhar uma seleção de notícias do jornal. Editorias como Poder já se comunicam no Facebook e no Twitter com os leitores, para discutir alguns dos principais fatos do dia.


Outra iniciativa foi a criação das páginas do projeto ‘DNA Paulistano’ no Facebook e no Twitter, abrindo discussões a partir da pesquisa sobre a relação dos paulistanos com sua cidade, realizada pelo Datafolha, que resultou em dez cadernos publicados na Folha em 2008.


Em junho, com organização da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e apoio da Folha, está previsto um debate de jornalistas brasileiros, profissionais e editores de mídias sociais de jornais internacionais, como ‘The Guardian’.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


(www.estadao.com.br)


Quarta-feira, 26 de maio de 2010


 


NA PRÁTICA


Carlos Orsi


Jornalismo, ciência e o mito do ‘outro lado’


‘Faz algum tempo, estávamos conversando aqui na redação sobre as campanhas de vacinação contra gripe e uma colega sugeriu uma entrevista com alguém que se opusesse à vacina, para equilibrar a pauta. Eu disse que não valia a pena. E acho que, por alguns instantes, o pessoal ficou meio chocado — como assim, ‘não vale a pena’ ouvir o outro lado?


Creio que a primeira vez em que tive contato com a questão foi ao ler o volume Flim-Flam!, de James Randi, no qual o autor se pergunta por que noções já demonstradamente falsas (como, digamos, a Maldição de Tutancâmon, o Triângulo das Bermudas ou o Óvni de Roswell) ainda se mantêm vivas, como fatos ou possibilidades de fato, na consciência popular. Sua resposta incluiu uma série de fatores, dos quais o que mais me marcou foi: ‘Jornalismo irresponsável’.


Mais recentemente, numa postagem do Twitter, o astrônomo e divulgador da ciência Phil Plait queixou-se — estou parafraseando agora — da ‘falácia do equilíbrio’ que assalta a mídia quando o assunto é ciência. E há exatamente um mês, o colega jornalista-e-blogueiro Reinaldo José Lopes enfiou o pé na jaca virtual — com consciência e objetividade — ao tratar da questão, aplicada especificamente ao problema do aquecimento global.


O fato é que ‘ouvir o outro lado’ ou ‘abrir o contraditório’ é um bom princípio geral para o jornalismo, mas aplicá-lo a questões de ciência e saúde requer uma cautela especial.


Mas é fácil entender o porquê: imagine, por exemplo, se cada vez que se fosse escrever algo sobre satélites em órbita da Terra, fosse preciso ouvir também a Sociedade da Terra Plana; ou se toda nota a respeito da entrada de uma nova estação tivesse de vir acompanhada de uma ressalva sobre os geocentristas contemporâneos.


Absurdo, certo? A forma da Terra e sua posição em órbita do Sol são fatos bem estabelecidos, e polemizar sobre eles faz tanto sentido quanto polemizar sobre a impossibilidade de se viver sem ar.


O problema é que existem muitos outros fatos que estão bem estabelecidos pela ciência mas que ainda não penetraram o senso comum da mesma forma que o sistema heliocêntrico fez (num processo de séculos, aliás).


Valendo-se disso, diversos grupos (muitos deles bem-intencionados, diga-se) tentam se apresentar para a mídia como portadores de alternativas legítimas. E o jornalista incauto acaba correndo o risco de, na busca de uma ‘visão equilibrada’, deseducar o público.


Aliás: a questão específica do dano que essa noção de ‘outro lado a qualquer preço’ pode causar à saúde pública é bem explorada pela colega Fabiane Leite, aqui e aqui.’


 


 


INTERNET


Pedro Marcondes de Moura


Google View já tem São Paulo mapeada em 360°


‘O Google, maior empresa de internet do mundo, concluiu, no começo deste ano, a tarefa de fotografar toda a cidade de São Paulo. O trabalho, realizado em menos de um semestre, será usado na ferramenta Google Street View, que permite que os internautas visualizem localidades em 360 graus. A companhia não definiu um prazo para as imagens serem disponibilizadas.


Segundo Felix Ximenes, diretor de Comunicação da empresa no Brasil, o serviço tem uma série de usos. ‘As pessoas podem olhar um local antes de alugar um imóvel, ver se a localização de um hotel é boa ou ruim e até fazer um tour virtual pelos pontos turísticos de uma cidade sem ter de sair de casa’, afirma.


Foram necessários 30 carros especialmente projetados para percorrer cerca de 17 mil quilômetros entre ruas e avenidas de São Paulo. Cada um dos veículos estava equipado com nove câmeras que filmavam em 360 graus e em 90 graus, além de equipamentos que ocupavam a maior parte do porta-malas e do banco traseiro. Por meio de um sistema de GPS, as imagens eram associadas aos locais capturados.


As imagens serão vistas pelos internautas com um aspecto de tridimensionalidade. O serviço foi feito pela própria equipe da companhia. A empresa, no momento, está tratando as fotografias e tirando a identificação de pessoas retratadas. Somente após este processo, a capital paulista poderá ser vista na internet.


Outras cidades. Belo Horizonte foi a primeira cidade do País a receber os carros do Google Street View. Depois, simultaneamente, São Paulo e Rio de Janeiro foram fotografadas. A empresa pretende disponibilizar aos seus usuários imagens de outras cidades brasileiras. Nos EUA, sede da companhia, imagens de quase todas as cidades podem ser acompanhadas pelo Google. Na Europa, a ferramenta também já mapeia diversos espaços. Hoje, o serviço está disponível em cerca de 30 países.


Privacidade. Tanta eficiência tem causado dor de cabeça à empresa de tecnologia. A companhia tem sido alvo de ações na Justiça que afirmam que o Street View viola a privacidade das pessoas. Nos Estados Unidos, por exemplo, um casal processou o Google após ser fotografado e exibido no serviço. Eles pediam US$ 25 mil. O processo foi arquivado pela Justiça.


Na Alemanha, a empresa está sendo investigada por coleta ilegal de dados privados e na Espanha, as autoridades já pediram a abertura de uma apuração pelos mesmos motivos. O mesmo deve ocorrer na Itália e na França. Já o governo grego proibiu a captura das imagens no país.


O Google também teve problemas no Japão, onde foi obrigado a alterar o modo de captação de imagens, reduzindo a altura dos equipamentos instalados nos carros. A população se queixava que a intimidade das casas, a maioria construída com muros baixos, era captadas pelas câmeras do Street View.


Ao lado de Israel e Nova Zelândia, outras sete nações enviaram uma carta coletiva pedindo explicações à empresa sobre uma eventual violação da liberdade individual. O Google respondeu vagamente às indagações.


Segurança. Os países também temem que o Google Street View seja usado para o planejamento de atos terroristas contra prédios públicos. O Pentágono, órgão militar americano, determinou a retirada de suas construções do site. A Inglaterra, por sua vez, pediu que a empresa não mostre nenhuma base militar do país.


COMO É FEITO


Equipamento


O veículo tem uma câmera com oito lentes, que fotografam em 360º, e uma posicionada a 90º, para registrar imagens do céu. Elas ficam em um tripé de 2 metros de altura


Endereço


Um sistema de GPS associa as fotografias ao endereço. Depois, as imagens são tratadas e placas de estabelecimentos comerciais e rostos de pessoas são borrados, para evitar que sejam reconhecidas’


 


 


Eugênia Lopes e Denise Madueño


Twitter provoca briga entre deputados na Câmara


‘Uma ‘tuitada’ terminou em bate-boca entre o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), e o deputado Capitão Assumção (PSB-ES) na reunião dos líderes partidários para discutir a emenda à Constituição que fixa o piso salarial nacional para os policiais militares, civis e Corpo de Bombeiros. Motivo do atrito: Assumção usou o twitter para passar informações da reunião, com críticas às lideranças partidárias e a Temer.


Irritado, o presidente da Câmara encerrou a reunião, depois de chamar a atenção de Assumção. ‘Aqui é uma Casa onde têm regras que se cumprem’, afirmou Temer. ‘Você é muito novo aqui’, disse com veemência o presidente da Câmara. Ele foi imediatamente apoiado pelos líderes partidários. ‘Se não posso me manifestar, então é melhor eu sair’, argumentou Assumção. ‘Então, saia’, reagiu a líder do PCdoB, deputada Vanessa Graziotin (AM).


Diante do clima tenso, Temer encerrou abruptamente a reunião. Aliado dos policiais, Assumção passou informes da reunião criticando a postura dos líderes. Antes o capitão havia tentado filmar a reunião e a fala dos líderes com o seu celular, mas foi repreendido por Temer.


O capitão continuou escrevendo em seu twitter críticas a fala dos líderes sobre a PEC 300, como é conhecida a emenda que trata fixação de piso salarial para os policiais. Acusou ainda Temer de querer ‘sepultar’ a emenda ao propor a criação de uma comissão para tentar fechar um texto sobre a remuneração da categoria.


Além de Temer, o capitão também bateu boca com os deputados Carlos Willian (PTC-MG) e o líder do PT, Fernando Ferro (PE). Um de seus alvos no twitter foi o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). ‘Vaccarezza diz que Lula já dá a bolsa formação. É de rir’, disse o capitão. Vaccarezza imprimiu as mensagens do twitter do deputado e entregou a Temer. ‘Vaccarezza diz que tem apoio dos policiais paulistas e que vai pedir votos nos quartéis’, escreveu o capitão. ‘Vaccarezza diz que não admite coação’.


Mais tarde, Assumção explicou sua atitude. ‘Eu ia colocando o que eles falaram. Esse é um hábito meu desde que percebi que estava procrastinando a votação da PEC 300. Os líderes combinaram, através do Vaccarezza, de abafar todas as PECs, de só votar depois das eleições’, disse o capitão.’


 


 


Fernando Martines


Pac Man do Google causa prejuízos


‘O site Rescue Time calculou: o mundo perdeu US$ 120,483,800 em produtividade ( ou 4,819,352 de horas de trabalho) pelo fato de o Google ter colocado o game Pac Man em sua página principal.


O cálculo levou em conta o tempo médio gasto no site naquele dia (48 segundos) contra a média do tempo gasto no Google em outros dias (11 segundos) multiplicado pelo número de pessoas que acessaram a página no dia (503,703,000).’


 


 


MERCADO


Sílvio Guedes Crespo


EUA preparam inquérito antitruste contra Apple, diz jornal


‘O Departamento de Justiça dos Estados Unidos tem entrado em contato com grandes gravadoras do país e empresas de venda de música pela internet para examinar a atuação da Apple no setor, segundo o New York Times. O jornal afirma que um inquérito antitruste contra a empresa está nas primeiras etapas.


Investigadores têm conversado com empresas para saber se a Apple usou sua posição dominante no mercado para persuadir as gravadoras a não fazer lançamentos exclusivos com outras lojas virtuais de música, como a Amazon.


O jornal diz que obteve as informações com pessoas próximas ao assunto.


Em março, uma reportagem da revista Billboard dizia que a Amazon pedia a algumas gravadoras a liberação de alguns lançamentos exclusivamente para os clientes da loja online de música.’


 


 


COLÔMBIA


Mídia colombiana tem ajudado Mockus na campanha, diz Santos


‘O candidato da situação à presidência da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta quarta-feira, 27, que os meios de comunicação de seu país têm ‘ajudado muito’ o indicado do Partido Verde para concorrer as eleições, Antanas Mockus, segundo informações do jornal argentino Clarín.


‘Mockus é um fenômeno midiático e os meios de comunicação ajudam bastante. Vocês veem em qualquer veículo que são críticas ao meu lado e elogios para ele’, disse Santos, do Partido Social da Unidade Nacional, também conhecido como Partido da U, do presidente Álvaro Uribe, ao Clarín.


Santos, ex-ministro da Defesa e da Fazenda, acrescentou que daria a Uribe o ‘cargo que desejasse’ em seu gabinete se fosse eleito o novo presidente. A candidatura de Santos é respaldado pelo atual mandatário colombiano, que por sua vez manteve o colega em sua equipe ministerial pela maior parte de sua gestão.


Apesar de ser bastante conhecido por sua ação incisiva e de tolerância zero contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Santos comemorou o fato de que a luta contra a guerrilha deixou de ser o tema eleitoral prioritário.


O candidato de Uribe insistiu estar ‘orgulhoso’ de ter ordenado o polêmico ataque contra um acampamento das Farc em território equatoriano em 2008. O episódio causou a morte de Raúl Reyes, um dos líderes guerrilheiros, mas ao mesmo tempo desatou uma crise diplomática entre o Equador e a Colômbia que ainda não foi resolvida.


O ex-ministro da Defesa, porém, indicou que a guerrilha ‘segue viva, e por isso as autoridades não podem abaixar a guarda’. ‘Esse pesadelo foi eliminado, mas não podemos nos equivocar quanto à atividade das Farc’, disse o candidato da Partido da U.


Santos tem como principal rival no pleito de 30 de maio o ex-prefeito de Bogotá Mockus, que surpreendeu ao conquistar o eleitorado e aumentar o índice de intenção de voto nas pesquisas. Os estudos indicam um eleitorado bastante dividido, e as eleições devem ir para o segundo turno com uma disputa entre esses dois candidatos.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem