Domingo, 07 de Junho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

A.D. no Roda Viva

Por lgarcia em 28/03/2012 na edição 687

 

Que delícia assistir à entrevista de Alberto Dines. Suas opiniões são de uma integridade e honestidade sobre a imprensa “única” no Brasil que só ele tem a coragem de expor. Parabéns, Dines, precisamos de um jornalismo imparcial e que persiga a verdade dos fatos (Elisabet Gomes do Nascimento, professora da rede pública municipal, São Paulo, SP)

 

2.

Curto muitíssimo o Observatório. Foi bom ver você no Roda viva. Leio a Folha todos os domingos. Tô fugindo do Grobo. A piauí é o grande lance. Vou adicionar ao meu kit o Valor Econômico. Obrigado pelas dicas (Nivaldo Castanheira, analista de sistemas e técnico contábil, Duque de Caxias, RJ)

 

3.

Prezado Dines, ontem (19/03) fui dormir mais tarde e por tua culpa. Fiquei assistindo o Roda Viva da TV Cultura. Infelizmente, não cheguei ao final do programa, pois precisava acordar mais cedo, hoje. Tu é o cara! Gosto muito do teu estilo de analisar os veículos e os seus programas jornalísticos. De fato, sempre que vejo o Observatório da Imprensa, sinto realmente o slogan “Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito”. Você, por si só já é uma aula de jornalismo. Parabéns por continuar dando “pitacos” nos jornalistas e nos seus programas, pois só assim as novas gerações poderão crescer com o olhar crítico (Eduardo S. dos Santos, Caxias do Sul, RS)

 

4.

Tem sido raro, mas ainda há momentos na vida nacional que se tem orgulho de ser brasileiro: Alberto Dines, na entrevista de ontem (19/03), me encheu de orgulho em saber que ainda resta gente honrada neste país (Luciano Fernandes Bezerra, advogado, Natal, RN)

 

5.

Sua entrevista no Roda Viva foi um acontecimento grandioso no mundo da imprensa. Mas até agora não houve repercussão à altura nos jornais, o que depõe contra eles. A paranoia da competição desenfreada está acabando com a imprensa. Seus pontos de honra, a imprensa levada como “missão”, sua absoluta independência, mais do que isso, seu caráter insubornável e sua isenção de opinião são valores estranhos à fauna do baixo clero da imprensa, provocando indiferença, hostilidade e muita inveja. Fiquei consolado quando você disse que foi despedido da Folha por telefone. Eu fui mandado embora do Estadão por e-mail depois de 36 anos como colaborador, não obstante os constantes elogios do Ruy às minhas matérias. Fiquei sem ter onde publicar (Gilberto de Mello Kujawski, escritor, São Paulo, SP)

 

6.

Um exemplo de brasilidade, civilidade e cidadania! O Brasil precisa de você. Parabéns (Mário dos Santos, contador, Belo Horizonte, MG)

 

7.

Tenho acompanhado sua passagem pela imprensa desde os tempos do Jornal do Brasil, no qual vocês chamavam a proprietária de “Condessa”. Li hoje os principais assuntos que apresentam e tenho dois comentários: não tem matérias sobre a imprensa especializada de economia, que em comparação à diária tem mais conteúdo, mas as matérias de fôlego não vão ao cerne da questão, tanto macroeconômica (desenvolvimento da nossa indústria, capitalização do agrobussiness e superaquecimento do mercado de capitais), quanto das finanças do Estado (por exemplo, dívida pública perto de 1,8 trilhão, reforma fiscal, inclusive dos produtos que formam efeito cascata de impostos. Embora tenhamos um governo econômico, a forma de aplicação é feita por uma “máquina estatal” que gerencia de modo que faz a desejar.

Outro ponto é o elogio á reportagem de Miriam Leitão sobre o sequestro do ex-deputado Rubens Paiva. Existe uma matéria que saiu na falecida revista Realidade sobre o sequestro, tortura e morte de Rubens Paiva, inclusive com depoimentos de pessoas que presenciaram os fatos; essa matéria foi feita com muita mais densidade e mostra toda obscuridade que a ditadura militar nos trouxe, inclusive no caso Rubens Paiva. Encontro nessa página um amigo para desabafar os meus pensamentos sombrios do nosso Brasil (Fernando Antonio Oliveira Guidugli, funcionário público estadual, Santo André, SP)

 

Uma singela admiração

O Observatório da Imprensa é simplesmente uma forma de mostrar como é feito jornalismo como nunca foi feito antes. (Celso Nietzsche, estudante, Ceilândia Sul, DF)

 

Publicação fere Constituição

O artigo “Ministério Público quer censurar dicionário” fere a democracia e o direito das minorias ao desdenhar de ação judicial que combate o preconceito e a discriminação racial. Gostaria que o jornalista se retratasse e/ou fosse publicado um contraponto. Sou cigano e me sinto ofendido/ultrajado com tal publicação (Carlos Feletti, psicólogo, Viana, ES)

 

Mais poderosa que Thor?

O episódio envolvendo o jovem Thor Batista, filho do bilionário Eike Batista, “bombou” na midia esta semana. Mas, dias atrás, morreu atropelado em São Paulo o famoso cientista Cesar Ades, da USP. Ele passava pela faixa de pedestres, na região da avenida Paulista, em um cruzamento sem semáforo, quando foi atropelado por uma motorista, que o socorreu e o levou no hospital, onde acabou morrendo. Algumas perguntas: a) Quem era essa motorista? b) Onde estão as testemunhas? c) Cadê os depoimentos dos familiares? d) É normal alguém chegar com um ferido no hospital e dizer “Olha, eu acabei de atropelar esta pessoa, vocês podem interná-la?” e ir embora como se entregasse uma pizza? Cesar Ades era o maior estudioso de comportamento animal do país, o que por si só já torna o caso relevante. E mais: aconteceu em uma área nobre da maior cidade do Brasil. Dias antes, a morte de uma ciclista provocou grande repercussão e até manifestação pública. Mas, desta vez, nenhum jornal, TV ou revista investiu no caso. Nem que fosse para falar da falta e segurança ou sinalização nos cruzamentos. Pelo visto, a motorista é tão ou mais poderosa que o Thor (Guilherme Meirelles, jornalista e pós-graduando na Faculdade Cásper Líbero, São Paulo, SP)

 

Toulouse não é longe

Sr. Dines, ridículo e parcial o seu artigo, sr. Dines! Mohammed Merah era terrorista? E o que são os soldados de Israel, que friamente confinam o povo palestino em guetos, em condições subumanas, quando não matam, covardemente, velhos, mulheres e crianças? Se o senhor defende tão veementemente o Estado laico, eu lhe pergunto qual a condição do Estado de Israel a esse respeito? Há algum de seus governantes, atuais ou que já deixaram o poder, que não tenha sido da religião judaica? Qual a probabilidade de um cidadão árabe, nascido em Israel, vir a ocupar um cargo no governo israelense? Aguardo respostas (Renato Gagliardi, comerciante, Campinas, SP)

 

Redes sociais

Gostaria de ver algo publicado sobre uma questão curiosa. Um amigo comprou uma faca de cozinha através do site Submarino. A caixa veio vazia. Ele tentou contato pelo velho conhecido serviço de atendimento ao cliente. Aquela história se repetiu: ligou, reclamou e ouviu dizerem que o problema seria resolvido em dois dias. Não foi. Tornou a ligar e mais uma vez tentaram enrolar com a conversa da ligação anterior. Ele não aceitou e passou a publicar seu texto/reclamação na fanpage do Submarino no Facebook. Toda e qualquer publicação da empresa recebia o comentário já em formato ctrl c + ctrl v. Em menos de 24 horas, entraram em contato afirmando que o problema seria resolvido o mais rápido possível. Gostaria que algum observador publicasse algo a respeito. As empresas sabem que podem fazer o cliente de besta pelo telefone, mas pela rede social é diferente, visto que sua página de auto-promoção foi “infectada” pela insatisfação de um cliente. Isso só deixa exposta a má-fé desse grupo (Jafar Barreiros, videomaker, Salvador, BA)

 

Grande Chico Anísio

Vai Chico… Ahh… Se todos fossem iguais aos seus personagens tão magicamente interpretados, que maravilha seria viver aqui nesta terra. Vai Chico… Leve a saudade de todos os brasileiros que te amam de graça e faça todo mundo aí no céu ficar alegre com você no descanso eterno, porém com muito bom humor e sorrindo. Vai Chico… Obrigado por fazer o Brasil sorrir durante todos esses anos de humor e amor pela profissão de ator e pelo teatro. Parabéns, Chico. Saiba que você foi um enorme exemplo de caráter e maestria, como pessoa e como ator, para todos nós, brasileiros. Vai Chico… Descanse na paz do sorriso de nosso pai celestial. Hoje, lá no céu, deve haver muita alegria, pois partiu da terra o maior humorista de todos os tempos. Chico Anísio. O Chico do Brasil e de todos os brasileiros. O nosso cidadão do mundo. O maior ator de todos os tempos e de todo o mundo. Hoje todo o mundo está de luto e não só nós brasileiros. Obrigado Chico,…vai em paz! (Marcio Eugenio de Abreu, Manaus, AM)

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem