Sexta-feira, 14 de Agosto de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

ENTRE ASPAS >

Dilma vence o Big Brother Brasília

Por Gabriel Leão em 11/01/2011 na edição 624

Os políticos são cada vez mais midiatizados e se confundem, pelas câmeras e microfones dos veículos de comunicação, com participantes de um reality show. A posse de Dilma Rousseff marcou a nova edição do BBB, o Big Brother Brasília.


As sessões nos três poderes, quando filmadas, ganham ares teatrais, gestos ficam mais largos, as falas ganham eloquência e há todo um cuidado com a vestimenta e a aparência. A posse mostrou todos esses fatores potencializados em uma saga que tem ares de Gata Borralheira e Patinho Feio, porém, orquestrada meticulosamente por marqueteiros e com apoio de jornalistas mais interessados na festa do que propriamente em política. Vale lembrar que existem veículos que deram cobertura séria com críticas e elogios ao evento, independente de posição editorial no espectro político.


O formato Big Brother é um produto da Sociedade do Espetáculo para satisfazer a necessidade de vouyerismo de seus telespectadores e o efeito da atração na agenda midiática é visível, principalmente na esfera política. O centro geográfico do poder brasileiro se tornou no Big Brother Brasília. No BBB, os arquétipos se destacam como o vilão, a beldade, o aliado e o herói. O papel de vilão coube ao candidato tucano José Serra que, de certa forma, foi esquecido até pelos próprios jornalistas que o apoiavam e se viu ‘eliminado’ de seu sonho de infância de usar a faixa presidencial. Se o resultado fosse diferente, o espetáculo de luzes, câmeras e trilha sonora poderia tê-lo como astro principal.


O título de campeã


O vice-presidente Michel Temer e o presidente do Senado José Sarney, do PMDB, aparecem como os aliados, participantes que não levam o prêmio principal, mas ficam em evidência e no pódio com o 2º e 3º lugar respectivamente, seja qual for o vencedor. A beldade da posse foi apresentada como Marcela Temer que, com seu surgimento na tela, causou alvoroço e foi mais comentada no Twitter que a própria presidente. Na política, atores sociais como John F. Kennedy, Carla Bruni e Barack Obama evidenciam a importância da beleza no espetáculo. Marcela também mostrou que alguns jornalistas políticos flertam com colunas sociais que investigam a fundo o passado de seus personagens. Certos veículos de comunicação que fizeram a cobertura da posse tiveram sua sessão Tititi.


Lula, que é apontado neste momento por grupos de jornalistas como um dos maiores líderes da história nacional e até pouco tempo atrás era criticado pelos mesmos, lembrou um Freddie Mercury se despedindo do público cantando ‘The Show Must Go On’ (O Show Deve Continuar, em tradução livre). E realmente continuou – entretanto, em seu palco pessoal em São Bernardo do Campo. A festa fez a grande maioria esquecer a não extradição de Cesare Battisti.


A estrela principal foi Dilma Rousseff, que durante a campanha eleitoral se mostrou uma debatedora inexperiente sendo retratada pelos profissionais de comunicação na posse como o cisne da Lagoa do Jaburu. A presidenta – como gosta de ser chamada – foi a vencedora do BBB e recebeu o título de campeã das mãos do conquistador das edições anteriores. A rotina política e até mesmo a vida comum da presidente já é mostrada em detalhes com links ao vivo e matérias sobre cabelo e moda. Os brasileiros ganharam o ‘Dilma Show’.

******

Jornalista e mestrando em Comunicação

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem