Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Embaçadelas recíprocas

Por Giulia Gomes em 08/06/2010 na edição 593

Nada como assistir à TV para resgatar toda a inspiração necessária para questionar a imprensa brasileira.

Faz oito anos que o jornalista Tim Lopes foi brutalmente assassinado. Isso ficou claro para todo mundo. Feira de serviços gratuitos organizada pela irmã dele para ajudar pessoas menos favorecidas. Pouco se falou sobre o único preso pelo crime… O cara foi solto depois de cumprir um sexto da pena. Saiu pela porta da frente para cumprir regime semi-aberto. E agora é foragido da justiça… Recompensa de 2 mil reais pela captura! Veja que ironia do destino…

Não tem nada a ser questionado aí? Fato isolado? Surpreendente? Não!

Outras notícias do jornal… Uma reprise de fatos esperados sob o disfarce do ineditismo do mercado jornalístico.

** Um político em cargo importante negando acusações comprovadas de corrupção e fazendo uso de privilégios até ser esquecido pela pequena parcela da população que decide se expressar contra isso.

** Mortes de inocentes causadas por uma guerra ‘qualquer’ entre países subdesenvolvidos de nomes às vezes impronunciáveis.

** Um jogador de futebol supervalorizado arruma confusão e tem que prestar contas com órgãos oficiais cujas sedes estarão repletas de fãs loucos querendo um autógrafo (número maior do que o de ativistas na porta dos órgãos oficiais supracitados).

Não precisamos justificativas

Logo depois, pico de audiência, a novela das oito com Mariana Ximenes fazendo cenas sexuais com Tony Ramos e Reynaldo Gianechini. E, todo o resto foi esquecido… Até a próxima catástrofe que virará notícia.

No livro Memórias Póstumas de Brás Cubas há uma frase interessante. O personagem principal cita um conhecido cujo caráter impecável lhe servia de exemplo de bom cidadão. Em certa ocasião, pegou o tal sujeito mentindo. Como justificativa o tal sujeito lhe disse: ‘A veracidade absoluta era incompatível com um estado social adiantado. E a paz das cidades só se pode obter à custa de embaçadelas recíprocas…’ Machado de Assis escreveu isso em 1880! Será possível que nada mudou?

As notícias deveriam nos fazer pensar em como prever situações. Não devemos contar aniversário de mortes enquanto tudo continua igualmente perigoso. Não devemos aguardar a próxima enchente para contar os mortos e cobrar soluções. Não precisamos de justificativas para fazer algo. Abaixo as embaçadelas recíprocas!

******

Estudante de Jornalismo, Niterói, RJ

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem