Quinta-feira, 28 de Maio de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Império de Murdoch sofre acusação de pirataria contra TVs rivais

Por lgarcia em 30/03/2012 na edição 687

 

O império de mídia de Rupert Murdoch viu-se diante de uma nova controvérsia esta semana, depois que o jornal australiano The Australian Financial Review e a BBC alegaram que o NDS Group – grupo de tecnologia em que a News Corp tem ações – sabotou, nos anos 90, emissoras de TV rivais para favorecer a britânica BSkyB e a australiana Foxtel por meio de pirataria. O NDS, com sede no Reino Unido, fabrica cartões que ficam dentro dos aparelhos de TV paga digital.

Segundo os veículos, a empresa teria contratado hackers para descobrir os códigos dos cartões de serviços de satélite rivais da News Corp e postá-los online ou vendê-los no mercado negro, permitindo que telespectadores usassem os serviços sem pagar por assinaturas, causando prejuízo de milhões de dólares aos concorrentes.

A News Ltd, braço de mídia australiano do grupo de Murdoch, classificou o artigo do Australian Financial Review de “risível”, afirmando que continha imprecisões e queixas sem fundamento que já foram rejeitadas por cortes em outros países, incluindo os EUA. Ojornal pertence a um dos principais rivais australianos de Murdoch, a Fairfax Media. Mas as autoridades do país levaram a alegação a sério. “Estas acusações são graves e toda acusação de atividade criminal deve ser referida à Polícia Federal Australiana para investigação”, declarou Suzie Brady, porta-voz do ministro das Comunicações, Stephen Conroy.

Unidade secreta

Além da matéria no jornal australiano, um documentário na BBC fez acusações semelhantes contra o NDS, alegando que o grupo teria contratado um consultor para publicar em um site pirata os códigos de um serviço de TV paga lançado pela ITV, emissora aberta britânica. A News Corp negou as acusações feitas pelo programa.

A reportagem do Australian Financial Review tinha como base novas mensagens de email, que o jornal alega terem vindo do computador de Ray Adams, ex-funcionário da Polícia Metropolitana de Londres que serviu como chefe da segurança operacional do grupo NDS na Europa de 1996 a 2002. As mensagens pareciam mostrar que existia uma unidade secreta do grupo, chamada “Segurança Operacional”, que promoveu uma onda de pirataria high-tech para prejudicar as rivais da News Corp, Austar e Optus, na época em que a empresa se posicionava como dominante na indústria de TV paga australiana. Os emails também corroboravam as acusações feitas pelo programa da BBC, evidenciando que a unidade, liderada por Reuven Hasak, ex-vice-diretor do Shin Bet, serviço secreto de Israel, encorajou e facilitou a pirataria de hackers para quem o NDS forneceu os cartões de TV paga, que permite que assinantes recebam transmissões por satélite codificadas.

Tom Watson, membro do Parlamento britânico que liderou as investigações dos grampos nos tabloides da News International, disse que enviaria as acusações para a Ofcom, órgão que regula a mídia no Reino Unido. As acusações foram feitas depois de a Cisco Systems afirmar que planejava comprar o NDS Group por aproximadamente US$ 5 bilhões (o equivalente a R$ 9 milhões). Informações de Amy Matt Siegel [The New York Times, 28/3/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem