Domingo, 12 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

FEITOS & DESFEITAS >

Pegadinha de TV assusta população belga

15/12/2006 na edição 411

Um programa de TV assustou a população belga com a ‘notícia’ de que a parte flamenga do país – que vive na região de Flandres e fala holandês – teria declarado independência. O programa da emissora pública RTBF anunciou, na noite de quarta-feira (13/12), que os flamengos não faziam mais parte da Bélgica. Para dar credibilidade ao furo, foram apresentadas imagens ‘ao vivo’ de bloqueios na nova fronteira e entrevistas com políticos apoiando ou criticando a declaração unilateral de independência do parlamento flamengo.


Tudo não passava de piada. Ou melhor, de um exercício para abrir – de maneira marcante e provocativa – o debate sobre uma questão que há tempos divide as opiniões no país: a redistribuição de poderes entre as comunidades belgas francesa e holandesa. Mas um número elevado de telespectadores caiu na brincadeira e os telefones da emissora ficaram atolados de cidadãos assustados. ‘Eu tenho 39 anos e não sou do tipo que se pode chamar de sensível, mas eu chorei’, afirmou a telespectadora Caroline Case, em uma demonstração do pânico que tomou conta de muitas pessoas.


Isso não é um cachimbo


No dia seguinte, a pegadinha estava nas primeiras páginas dos jornais. ‘A ficção que sacudiu a Bélgica’, alardeou o Libre Belgique. ‘A Bélgica morreu ontem à noite’, completou o Le Soir. Líderes políticos classificaram a farsa de ‘irresponsável’. ‘Foi um Orson Welles de muito mau gosto’, declarou o porta-voz do primeiro-ministro à agência de notícias Belga, relembrando a adaptação radiofônica de 1938 de A Guerra dos Mundos, feita por Welles, que causou terror nos EUA quando milhares de americanos acreditaram que ETs haviam de fato invadido a Terra. ‘No contexto atual, é irresponsável que uma emissora pública anuncie o fim da Bélgica como uma realidade apresentada por jornalistas de verdade’, completou.


No início da transmissão, a RTBF exibiu uma mensagem no canto inferior da tela que dizia ‘isso talvez não seja ficção’ – em referência à pintura do artista surrealista René Magritte que dizia ‘Ceci n´est pas une pipe’ (‘Isso não é um cachimbo’) junto ao desenho de um cachimbo. Depois de meia hora, a mensagem ‘isso é ficção’ apareceu na tela. Após o programa, o canal estimulou os telespectadores a enviar mensagens de texto contando se haviam sido enganados. De acordo com os primeiros resultados, 89% disseram ter acreditado na história no começo, e 6% afirmaram que continuam acreditando nela, mesmo depois do desmentido.


Cerca de seis milhões da população de 10,5 milhões de habitantes da Bélgica vivem na região de Flandres, onde a língua oficial é o holandês; 3,5 milhões vivem na Valônia, e falam francês; e um milhão vive em Bruxelas. Informações de Philippe Siuberski [AFP, 14/12/06].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem