Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

JORNAL DE DEBATES >

Reforma eleitoral sufoca imprensa

Por lgarcia em 18/01/2012 na edição 677

 

A Assembleia Nacional do Equador aprovou as alterações propostas pelo presidente Rafael Correa ao Código da Democracia, que entra em vigor no dia 4/2 e proíbe veículos de comunicação de divulgar mensagens consideradas favoráveis ou prejudiciais a candidatos a cargos eletivos. A nova reforma eleitoral impede que a mídia promova debates políticos ou entrevistas para informar os eleitores sobre os candidatos.

A organização Fundamedios condenou a aprovação da lei, argumentando que ela censura e limita a informação que os cidadãos receberão durante o processo eleitoral. Seu diretor, César Ricaurte, adverte que os jornalistas terão que esperar o término das eleições para denunciar atos de corrupção dos candidatos.

Correa alega que a lei busca evitar que os meios de comunicação privados imponham sua própria agenda política. O Equador realiza sua próxima eleição presidencial em 2013 e o presidente, dizem analistas, deverá tentar um novo mandato. Informações de Tania Lara [Knight Center for Journalism in the Americas, 16/1/12].

***

Leia também

O ataque do presidente à liberdade de imprensa

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem