Terça-feira, 02 de Junho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Âncoras americanos deixam o país após agressões

Por Leticia Nunes (edição) e Larriza Thurler em 08/02/2011 na edição 628

O jornalista americano Anderson Cooper, âncora da rede de notícias CNN, anunciou no fim de semana que deixaria o Egito. Frustrado, depois de uma semana tentando cobrir o caos que tomou conta do país, Cooper anunciou em seu perfil no microblog Twitter que havia decidido, com ‘o coração pesado’, voltar para os EUA. Funcionários da CNN continuariam no país cobrindo as manifestações pela saída do presidente Hosni Mubarak e os violentos conflitos com partidários do governo.

O jornalista foi agredido por duas vezes no Cairo e chegou a ter de se esconder. Em uma de suas últimas transmissões, ele admitiu que estava começando a ficar ‘um pouco assustado’ com a situação enfrentada no país. A âncora da CBS Katie Couric, que também deixou o Egito, disse ter ficado tensa ao ver o ódio dos manifestantes pró-Mubarak diante da imprensa ocidental e dos EUA. ‘Eu estava um pouco nervosa. Mas, no começo, achei que era apenas um tumulto. Quando você está com uma câmera de TV, você às vezes atrai comportamentos loucos… mas quando eu fui cercada, e este jovem egípcio me puxou, eu olhei nos olhos dele e eles estavam cheios de raiva’, afirmou ela em entrevista ao jornalista Howard Kurtz no programa Reliable Sources, da CNN.

Contra a imprensa

Kurtz questionou se âncoras americanos, como Katie e Cooper, deveriam parar de ir a regiões de conflito, já que atraem atenção e podem se tornar alvos fáceis. Katie discordou e lembrou que muitos outros jornalistas passaram por situações bem piores no Egito. Ela acredita que os manifestantes não a viram como um rosto conhecido, e sim como uma jornalista americana. A jornalista disse acreditar que os âncoras podem contribuir com a cobertura in loco com sua experiência em jornalismo.

De fato, diversos outros jornalistas passaram por maus bocados ao tentar cobrir os protestos. Alguns foram agredidos, outros tiveram seus equipamentos apreendidos. A veterana correspondente Christiane Amanpour, hoje na rede americana ABC, contou ter sido cercada e intimidada quando sua equipe tentava filmar em uma ponte. ‘Chutaram nosso carro e quebraram o retrovisor’, afirmou. Repórteres também foram presos e levados para locais desconhecidos. Informações do MediaIte [5 e 7/2/11].

***

Imagens do ataque sofrido por Anderson Cooper

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem