Terça-feira, 02 de Junho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

CBS News reconhece erro em reportagem sobre atentado na Líbia

Por lgarcia em 12/11/2013 na edição 772

Em uma rara correção ao vivo no programa 60 minutes, no domingo [10/11], a emissora norte-americana CBS News reconheceu ter errado em uma reportagem sobre um ataque terrorista ocorrido no ano passado em Benghazi, na Líbia. Jeff Fager, executivo do canal, disse ter sido o “maior erro já cometido” nos 45 anos do programa.

Segundo Fager, a CBS foi enganada por uma fonte primária, um oficial de segurança que contou à equipe uma angustiante história sobre o ataque terrorista de 2012 em uma missão diplomática dos Estados Unidos em Benghazi. No entanto, o oficial, Dylan Davies, contou uma versão diferente do acontecimento para o FBI, dizendo que não estava presente na missão naquela noite.

Após a revelação, a CBS removeu a matéria de seu site e a correspondente para o segmento, Lara Logan, desculpou-se pessoalmente no programa de notícias matutino da emissora. Coube também a Lara a correção de domingo. “Quando nós descobrimos que o relato dele ao FBI era diferente do que ele havia nos contado, percebemos que havíamos sido enganados e que foi um erro incluí-lo em nossa reportagem”, afirmou a jornalista na declaração de pouco mais de um minuto ao fim do 60 Minutes. “Sentimos muito. A coisa mais importante para qualquer pessoa no 60 Minutes é a verdade. E a verdade é que cometemos um erro”, completou.

Mentiroso convincente

O braço editorial da CBS suspendeu a publicação de um livro de Davies em que ele contava a mesma narrativa exibida no 60 minutes. O oficial, que no programa se identificou como Morgan Jones, concedeu três entrevistas para o FBI. Em todas elas, descreveu os eventos de maneira diferente da que foi exibida na TV, em que dizia ter testemunhado o atentado. Nas entrevistas ao FBI, reveladas pelo jornal New York Times, Davies relatou não estar presente durante o atentado.

Segundo Fager, a justificativa para acreditar em Davies era a sua garantia de que as entrevistas dadas ao FBI corroboravam seu relato. Para o executivo, a CBS foi enganada por um mentiroso convincente. “Existem pessoas no mundo que tentam enganar as outras”, disse. “Nós acreditávamos ter um bom sistema que nos protegeria delas. Esse homem conseguiu passar por cima disso”. Fager disse que a CBS se esforçou para saber o que Davies contou ao FBI e que fontes disseram que o relato estava em sincronia com as entrevistas.

A reportagem acabou virando alvo da batalha política sobre o incidente em Benghazi. O relato de Davies à CBS deu novas armas para os republicanos criticarem o governo democrata de Barack Obama. Desde o ataque, no ano passado, republicanos defendem que o governo falhou em dar segurança à missão, conteve-se em mandar forças militares para resgatar americanos e tentou disfarçar seus erros. No dia seguinte à transmissão da matéria no 60 Minutes, senadores republicanos deram uma entrevista coletiva exigindo que investigadores do congresso possam entrevistar sobreviventes do ataque.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem