Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

ENTRE ASPAS >

Político envolvido em escândalo brilha na TV

Por Leticia Nunes (edição), com Larriza Thurler em 29/06/2010 na edição 596

Virou moda, nos EUA, a ida de políticos envolvidos em escândalos para a TV. O ex-governador do Illinois Rod Blagojevich, acusado de corrupção por, entre outras coisas, tentar vender a vaga deixada por Barack Obama no Senado, virou figurinha fácil em programas de entrevistas e acabou como participante da versão de celebridades do reality show O Aprendiz, do magnata Donald Trump. Agora, é a vez do ex-governador de Nova York Eliot Spitzer, que deixou o cargo dois anos atrás por conta de um escândalo envolvendo prostitutas, brilhar sob os holofotes. Mais especificamente, Spitzer vai brilhar atrás da bancada da rede de notícias CNN.

O político gastou milhares de dólares com prostitutas de luxo, além de providenciar o transporte das mulheres de um estado para outro. Nos EUA, é crime transportar pessoas entre estados com propósitos considerados imorais. A carreira política de Spitzer, tida como promissora, foi arruinada com o episódio. Ele admitiu a má conduta, renunciou ao governo e passou oito meses recluso. No fim de 2008, foi anunciado que não seriam prestadas queixas sobre o caso. Logo depois, Spitzer escreveu colunas para o Washington Post e para a Slate. Ao longo de 2009, ganhou perfis na Newsweek e Vanity Fair.

Em todas as entrevistas e aparições públicas, ele mostrava simpatia e bom humor. Questionado, certa vez, sobre a vida de colunista, respondeu: ‘É uma droga. Eu costumava ser governador de Nova York’. O espírito esportivo parece ter ajudado Spitzer a conseguir espaço na TV. Ele passou a substituir, ocasionalmente, o âncora Dylan Ratigan na emissora MSNBC. Agora, foi convidado pela CNN para apresentar um programa de debates junto com a colunista conservadora do Washington Post Kathleen Parker. Segundo o presidente da rede nos EUA, Jon Klein, a dupla fará um resumo das ‘melhores ideias do dia’.

Imparcialidade

A briga pela audiência no horário nobre entre as emissoras de notícias americanas é acirrada, e a CNN enfrenta uma boa disputa com a conservadora Fox News e a MSNBC, de esquerda. As duas últimas preenchem o horário das 20hs com programas de conteúdo político e deixam claras suas inclinações. A CNN, ainda que seja identificada por críticos como liberal, tenta adotar um tom mais neutro – o que, ao que parece, tem lhe custado o público.

A jornalista Campell Brown, que ocupava o horário até recentemente, deixou a emissora se queixando de seu baixo índice de audiência. Ainda assim, Klein garante que não tem a intenção de produzir debates no estilo de suas concorrentes – e é por isso que Spitzer, político democrata, terá a seu lado Kathleen, uma voz conservadora. Informações de Bill Carter e Brian Stelter [New York Times, 23/6/10] e de Ravi Somaiya [Newsweek, 23/6/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem