Sábado, 04 de Julho de 2020
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1074
Menu

VOZ DOS OUVIDORES >

Ruído na comunicação

08/06/2010 na edição 593

O Memorial Day, data em que os soldados mortos durante o serviço militar são lembrados nos EUA, é especialmente difícil para pessoas que perderam parentes ou amigos em combate. Para o leitor do Washington Post Larry Mace, de Winchester, este ano a dor foi acompanhada por raiva ao jornal. Seu filho Stephan, de 21 anos, morreu depois de ter sido ferido no Afeganistão, em outubro, durante uma batalha com insurgentes. Há três semanas, o repórter Greg Jaffe descreveu, em matéria de capa, os esforços dos companheiros de Mace para salvar sua vida enquanto estavam sob fogo inimigo.

Em detalhes, a matéria contou como Mace, ferido em ambas as pernas e quadril, arrastou-se pedindo ajuda. Socorrido por amigos, ele estava com muita dor e fraco por conta da perda de sangue. Depois de um longo tempo, um helicóptero chegou para resgatá-lo, mas o soldado acabou morrendo na mesa de cirurgia.

Detalhes

Para muitos leitores, a matéria capturou a realidade da guerra no Afeganistão e o valor e sacrifícios extraordinários dos militares americanos. Mas, para Larry Mace, as descrições explícitas foram chocantes e injustificáveis. Ele não tinha ideia de que o Post estava escrevendo sobre seu filho e foi por meio do jornal que ficou sabendo dos detalhes pertubadores das horas finais de Stephan. ‘Houve detalhes que não fiquei sabendo pelo Exército e que não deveriam ter sido divulgados ao público, especialmente sem minha permissão. Estas informações deveriam ser apenas da família’, escreveu ele a Jaffe e ao editor de segurança nacional, Cameron Barr.

Mace divorciou-se da mãe de Stephan, Vanessa Adelson, quando o filho era adolescente. O repórter não sabia disso quando conversou com Vanessa, que já sabia de muitos detalhes da morte do filho por conta de relatos de colegas e pelo relatório de autópsia do Exército. Para Jaffe, ela havia informado ao ex-marido sobre a matéria – e foi isso que, quando procurada pelo ombudsman do Post, Andrew Alexander, Vanessa disse que fez. Mace nega. Jaffe, por sua vez, admite que errou ao não ter tido o cuidado de questionar se os pais do soldado eram divorciados. Por isso, escreveu um e-mail de desculpas a Mace. Já Barr acredita que o repórter foi muito crítico consigo mesmo, pois não é tarefa do jornalista determinar se os membros de uma família estão se comunicando adequadamente.

Em relação aos detalhes chocantes, Vanessa disse que soluçou ao ler a matéria. ‘Foi muito doloroso, mas o artigo era sobre soldados que amaram Stephan e o que fizeram para salvá-lo. Se escondermos isto do público, se não o fizermos de modo pessoal, então não conseguimos fazer com que o público entenda o que estes meninos estão passando’, afirmou.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem